comer intuitivo

Comer intuitivo: Entenda como ele pode melhorar sua relação com a comida!

Comer intuitivo

O comer intuitivo promove o resgate da confiança em seu corpo para orientar o que comer, o quanto comer, como amar seu corpo e fazer atividade física para promover o bem estar. 

Introdução 

Pense na primeira coisa que vem a mente quando falamos em intuição. É provável que você tenha pensado em algo como “conhecimento imediato, sem recorrer a razão”, essa é definição do dicionário. 

E o comer intuitivo vai de encontro a isso, pois utiliza de um conhecimento imediato e compreensão de momentos sem recorrer a racionalidade. 

Aprender a identificar a fome e a saciedade faz parte desse conhecimento imediato que se orienta a partir de você e mais ninguém! 

O comer intuitivo e essa conexão com o próprio corpo acontece a partir de 10 princípios que explicarei a seguir. 

1. Rejeitar a mentalidade de dieta 

Rejeitar a mentalidade da dieta consiste em descartar materiais e mudar ideia de que a dieta poderia provocar a perda de peso imediata e de forma permanente. 

Como assim não fazer dieta? 

Assustou? 

Calma! Vivemos rodeados de ideia de que para conquistar um objetivo na alimentação precisamos fazer uma dieta super restritiva e que sempre leva em consideração o peso e não a saúde como um todo. 

Quando você segue uma dieta (qualquer uma) você deixa que outra pessoa diga para o seu corpo o que ele deve fazer e a proposta do comer intuitivo é justamente o contrário, é promover o autoconhecimento para VOCÊ determinar o que vai comer. 

2. Honrar a fome 

Quando temos uma regularidade em nosso ato de comer é normal que o corpo tenha seus próprios horários de sentir fome, o que a gente chama de relógio biológico. Essa padronização de horários que o corpo estabelece te ajuda a organizar sua rotina e suas refeições. 

E saber interpretar o sinais de fome é essencial. A fome pode se apresentar através do já conhecido “ronco na barriga”, perda de energia, desatenção, dor de cabeça e este último muitas vezes é confundido como uma dor isolada levando ao consumo de remédios, sendo que uma refeição já poderia resolver o problema. 

Desconfie que sua dor de cabeça rotineira também pode ser a fome que você está ignorando! 

3. Fazer a pazes com a comida 

Nada de comida de dieta e comida do dia do lixo, tudo é comida e tudo é gostoso! Alface e brigadeiro têm a mesma importância dentro do comer intuitivo. 

E não adianta fingir que está aceitando comer de tudo e mesmo com vontade negar algum alimento com medo de engordar. Seguir suas vontades é importante para entender o que você quer ou não comer, ampliar seu modo de comer também. 

4. Desafiar o policial alimentar 


É comum ter pessoas que falam a seguinte frase: nossa, vai comer todo esse pedaço de bolo. Você deveria cuidar mais do seu corpo! 

Ou a própria pessoa fala para si que: esse doce é muito calórico, não deveria estar comendo ele! 

Em ambos os casos existe a policia alimentar que fica o tempo todo controlando o que você come, mas não existe nenhum efeito positivo na sua alimentação, pois quanto mais você se restringe mais a vontade aumenta. 

Desafiar a policia alimentar é seguir um caminho para comer sem culpa

5. Sentir saciedade 

Saber em qual momento parar de comer é algo que vem sendo influenciado pelo nosso comportamento alimentar. Comer mexendo no celular, assistindo TV ou imerso em pensamentos provoca a falta de atenção e consequentemente a falta de percepção de saciedade. 

Comer intuitivo

6. Descobrir o fator de satisfação 

Observar quais alimentos e preparações te proporcionam maior satisfação promove prazer ao comer e menor ingestão do alimento consumido. 

Para isso é necessário se perguntar o que você quer comer e ser o mais verdadeiro possível, sem os pensamentos da policia alimentar que toda hora crítica suas escolhas. Um lugar e uma companhia agradável também ajuda a ter uma alimentação mais prazeroso e satisfatória. 

Quem já passou pela experiência de comer uma comida maravilhosa na companhia de alguém desagradável? Ruim, não é! 

7. Lidar com as emoções sem usar comida 

Compreender as emoções e saber identificar quando não está tudo bem e perceber que existe muitas ações a serem tomadas para lidar com emoções, além do uso de comida. 

A cena clássica de chorar tomando sorvete não é única maneira de lidar com a tristeza, frustração. Neste texto apresento o que é o comer emocional e como ele se diferencia da fome física. 

Sempre que suspeitar que está com fome emocional questione e avalie conforme oriento neste texto. 

8. Respeitar seu corpo 

Eu sei que te dizem o tempo todo que seu corpo não é certo e que sempre tem algo que precisa ser melhorado, mas seu corpo expressa características genéticas das quais não é possível mudar. 

Todos nós temos parte do corpo que amamos e outras que não gostamos tanto, se é possível mudar, ótimo! Se não, melhor seguir a vida e destacar as partes que você gosta mais. 

Você não precisa emagrecer para começar a amar seu corpo, você pode começar agora! 

9. Exercitar-se 

Fazer exercício para se punir ou para queimar as calorias da comida não é uma forma de praticar atividade física porque você ama seu corpo. 

Este princípio do comer intuitivo orienta que a atividade física seja realizada como meio para promover o bem estar, realizando uma atividade que você gosta e seja mais uma oportunidade para amar seu corpo. 

10. Honrar a saúde 

Incluir o prazer em comer e a propriedade nutricional como critérios para escolha alimentar é algo que vai progredindo conforme você escuta seu corpo. Ele te diz o que está precisando, confie nele! Não existe dieta perfeita, mas uma alimentação saudável que é flexível, leve e possível. 

Conclusão 

Os 10 princípios apresentados aqui são estratégias para promover o bem estar com a comida, mente e o corpo, desta forma garantindo a saúde. 

Comer por prazer, pelas propriedades nutricionais e amar o corpo é diferente de tudo o que vem sendo proposto pelo mundo fitness, onde você foca apenas em emagrecimento e atividade física como punição. 

Se torturar para ser saudável não é normal! 

E aí, gostou de conhecer os 10 princípios do comer intuitivo? Compartilhe com alguém que também pode se beneficiar dese tipo de conteúdo! 

2 Comments

  • Joseane Bessa Araujo

    Geralmente essas vontades sem identificação do nome pode estar relacionada ao tédio, algo do tipo "quero comer alguma coisa, mas não sei o que é". Boa parte das comidas podem ser feitas em casa caso não encontre num mercado, por exemplo, mas o comer intuitivo não significa que sua vontade tem que ser atendida imediatamente, mas sim reconhecida e valorizada e desta forma você pode procurar formas de atender seu desejo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *